Para ser piloto de avião precisa de faculdade?

Piloto em frente ao avião
Compartilhe:
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

Nem todas as profissões precisam de diploma para ter uma carreira de sucesso. Esse é o caso do piloto de avião, cujas certificações podem ser adquiridas em escolas credenciadas pela Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC). Mas ainda assim, alguns profissionais podem optar pela formação acadêmica a fim de ter um diferencial no currículo.

Independente do caminho escolhido, para se tornar um piloto de avião você precisa passar por uma formação extensa. A depender do patamar que deseja alcançar, é necessário adquirir diversas habilitações, o que leva tempo e pode exigir investimentos altos.

No entanto, o mercado de trabalho pode ser muito promissor para aqueles que se dedicam, com alta remuneração, conforme a empresa e a experiência acumulada. Há possibilidades de atuação em diversos setores, dentro e fora do Brasil.

Neste post, vamos te explicar qual a diferença da formação de pilotos em escolas de aviação e faculdades. Já se você quer conhecer sobre a carreira em aviação militar, temos outro post que conta sobre a formação de pilotos de caça da Força Aérea Brasileira. Leia aqui.

Formação de pilotos em escola de aviação

Fase 1: Piloto Privado (PP)

Ao decidir pela formação em escolas de aviação, sua primeira habilitação será como Piloto Privado (PP), que dura cerca de 4 meses. Nesta categoria, você tem permissão para pilotar monomotores, porém, sem remuneração.

Para começar você precisa ter 18 anos e ensino médio completo. Outro pré-requisito é o cadastro na Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) e o Certificado Médico Aeronáutico de 2ª Classe, concedido após a realização de um exame médico em uma clínica credenciada pela ANAC.

Ao ingressar no curso, a primeira etapa é o curso teórico, desenvolvido em sala de aula ou no modelo de ensino à distância (EAD). O aprendizado é validado através de uma prova aplicada pela ANAC, com 5 áreas de conhecimento. O candidato pode repetir a prova em caso de falha, com pagamento de taxa.

A segunda e mais esperada são as aulas de voo. No curso prático, o aluno deve ter um mínimo de 40 horas voadas, incluindo voos diurnos, noturnos, solo e de navegação. Ao final, um exame de cheque é aplicado por um piloto autorizado pela ANAC, seja um inspetor credenciado ou instrutor da escola.

Saiba como adquirir Financiamento Estudantil para formação de piloto.

Fase 2: Piloto Comercial (PC)

Após ser habilitado como Piloto Privado, você deve continuar estudando para se formar um Piloto Comercial (PC), que tem permissão para atuar no mercado de trabalho. Para atingir essa categoria, o aluno deve passar por um novo curso teórico com prova, e aulas práticas de voo. É necessário acumular ao menos 150 horas de voo, sendo 60 horas com voo de navegação (por instrumentos).

Conheça alguns dos diversos setores de atuação do piloto comercial.

Após ser aprovado novamente pela ANAC, o piloto pode buscar especializações para adquirir diferenciais no currículo, como:

Voo por Instrumentos (IFR): que ensina a pilotar apenas com uso de instrumentos, em situações meteorológicas desfavoráveis para o voo visual.

Voo em Multimotor: que habilita o piloto a conduzir aeronaves com mais de um motor, algo comumente exigido na carreira de piloto.

Fase 3: Piloto de Linha Aérea (PLA)

Se o seu sonho é fazer parte das grandes companhias aéreas, é necessário ter uma licença de Piloto de Linha Aérea (PLA), concedida pela ANAC por meio de prova. Esse profissional precisa acumular centenas de horas de voo, a depender do cargo que deseja ocupar.

Geralmente as empresas exigem cerca de 500 horas para copilotos e 1500 horas para pilotos, com mínimo de 21 anos. Tudo depende do cargo e da empresa para a qual deseja se candidatar.

Outro pré-requisito é ter pelo menos 12 horas de voo em aviões bimotores. Já os diferenciais podem incluir desde horas de simulador (Jet Training) até proficiência em Inglês Técnico.

Conheça os cursos oferecidos pelo Aeroclube de Juiz de Fora.

Formação de pilotos em faculdade

Ao contrário das escolas de aviação, os cursos oferecidos por faculdades da área possibilitam atuar em outras funções que não só a de pilotagem. Por esse motivo, o curso é interessante para pessoas que pretendem migrar de carreira dentro da aviação ou ter um plano B.

Na parceria entre o Aeroclube de Juiz de Fora e a UniGuairacá, por exemplo, existem dois cursos de Ciências Aeronáuticas. O primeiro com habilitação de Piloto de Linha Aérea, e o segundo com habilitação em Gestão de Aviação Civil.

Ambos têm duração de três anos e preparam pilotos que desejam seguir carreira na aviação civil comercial. Mas também conta com disciplinas de administração de empresas de transporte aéreo, logística, manutenção de aeronaves, segurança do trabalho e medicina aeroespacial, inglês técnico, entre outras.

Outra opção é o curso técnico de Pilotagem Profissional de Aeronaves, com duração de 2 anos e meio. Seu foco é na formação de pilotos que desejam atuar no mercado de trabalho com uma bagagem teórica mais completa.

Nesse caso, a grande vantagem de fazer uma faculdade em aviação é que as companhias aéreas podem exigir menos horas de voo para profissionais graduados. Além disso, o diploma pode abrir portas para outras oportunidades de trabalho, dentro do setor de aviação, seja por desejo de mudar de carreira ou por necessidade do mercado.

Conheça os cursos de graduação ministrados no Aeroclube de Juiz de Fora em parceria com a UniGuairacá.

Compartilhe:
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Talvez, você também goste:
Busca por tags:

Deixe um comentário

Categorias

 

Posts em destaque

Como me tornar um piloto profissional?

Arquivo do blog

 

Galeria de fotos

aerobuero
aeroclube
Aeroclube_Aviões (171)
aeroclube_slider_7
aeroclube_81